Autora: Selma Maria Lira Beltrão

Orientadora: Doris Aleida Villamizar Sayago

Dissertação de Mestrado - Centro de Desenvolvimento Sustentável - Universidade de Brasília (UnB)

Resumo: O presente trabalho se propõe a analisar as estratégias de comunicação que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa tem desenvolvido para levar aos agricultores familiares os resultados de suas pesquisas, online  e como essas ações sempre estiveram inseridas nas diretrizes governamentais e nas políticas desenvolvimentistas do País. Esta pesquisa é um Estudo de Caso no Território do Sisal,  no Estado da Bahia, utilizando coleta e análise de dados qualitativos. O Território do Sisal é um território de identidade situado no semiárido baiano e instituído em 2003 como um território prioritário, em razão da forte presença de uma rede de instituições e movimentos sociais e da cadeia produtiva do sisal. Sua instituição está alicerçada no programa de desenvolvimento sustentável dos territórios rurais, como parte da política de desenvolvimento rural sustentável com abordagem territorial adotada pelo governo a partir de 2003. O objetivo da pesquisa é identificar se os projetos da Embrapa que estão em execução no território, e que têm como proposta democratizar o acesso às informações técnico-científicas e socializar conhecimentos, por meio da estratégia de divulgação de ciência e tecnologia presente nas Minibibliotecas e no Prosa Rural, e de gestão da informação na Web com o desenvolvimento da Árvore do Conhecimento via Núcleo Piloto Sisal, contribuem para a comunicação participativa e para o diálogo interinstitucional com os atores do Sisal, ou se reproduzem as práticas do modelo difusionista, largamente adotado pela pesquisa agropecuária e a extensão rural na relação com os agricultores a partir da segunda metade da década de 1970. A relevância deste trabalho está na possibilidade de debater as estratégias das novas institucionalidades (colegiados territoriais e outros espaços de planejamento) no processo de participação e gestão social das políticas públicas para os territórios, bem como o papel de uma instituição pública de pesquisa, cujos projetos têm sido direcionados para o desenvolvimento agrícola do País nos âmbitos nacional ou regional, em ações sistêmicas com enfoque exclusivo no desenvolvimento territorial rural sustentável. Os resultados da pesquisa mostraram que ainda persiste a presença de métodos difusionistas nesses projetos, e que as fragilidades na articulação dos mesmos com os atores sociais e institucionais do território dificultam a socialização de conhecimentos e saberes. No entanto, esses projetos têm resignificado as ações da Embrapa no território e representam um avanço no que diz respeito à possibilidade de construção de diálogo direto e de uma comunicação mais participativa com e para os agricultores familiares e suas representações, assim como nas ações territoriais da instituição. Espera-se que este trabalho seja uma contribuição para o estudo das políticas públicas de desenvolvimento territorial rural sustentável.

Palavras-Chave: Comunicação; Território do Sisal; Embrapa; Políticas Públicas; Desenvolvimento Rural Sustentável.

Link para download: http://www.unbcds.pro.br/publicacoes/SelmaBeltrão.pdf